23 dez

Vacinação infantil aproxima esquerda, centro-direita e não alinhados contra o governo

Debate sobre a vacinação infantil

Atualizado em 28 de dezembro, 2021 às 2:03 pm

  • Grupo alinhado ao governo obtém maior número de interações e perfis, mas perde para a soma dos grupos opositores;
  • Base social de grupos favoráveis à vacinação aproxima esquerda, centro-direita e não alinhados, isolando o governo federal;
  • Pressão contra servidores da Anvisa mobiliza críticas de lideranças de partidos opositores como PSB, PSOL, PT, PODEMOS e PSDB.

Um levantamento feito pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas entre os dias 16 e 22 de dezembro de 2021 identificou mais de 211,8 mil tuítes no debate sobre a liberação para a vacinação de crianças contra a Covid-19. O debate obteve pico de mais de 40 mil menções no dia 17 de dezembro e até o dia 22 se manteve acima das 20 mil menções por dia.

Com 40% dos perfis e 44% das interações, o conjunto ligado ao governo (Azul) foi o maior desse debate. Essa vantagem, no entanto, deve ser colocada em perspectiva, uma vez que os outros três grupos do debate se posicionaram contrariamente à condução do governo federal em relação à vacinação infantil e somaram 47,3% dos perfis e 47,7% das interações. Além disso, tratam-se de grupos digitais que representam diferentes estratos da sociedade, como apoiadores de partidos de esquerda (Vermelho), como PT e PSOL, partidários da centro-direita (Verde), representados por João Doria e Sergio Moro, além de perfis não alinhados (Amarelo), aglutinados nos tuítes de cientistas, médicos e divulgadores científicos.

A aproximação entre os diferentes grupos políticos pode ser observada pelo volume de interações entre eles. A partir dessa métrica é possível identificar, por exemplo, que cerca de 13% das interações do grupo Verde (centro-direita) e 9,5% do grupo Amarelo (não alinhado) se direcionaram a perfis do grupo Vermelho (esquerda). O grupo Azul (governo), por sua vez, foi o mais isolado do debate, não obtendo nem 1% de interações compartilhadas com nenhum dos outros conjuntos. Os dados sugerem que o governo, novamente, centra sua estratégia discursiva para mobilizar apenas seus apoiadores mais próximos, isolando-se dos demais grupos envolvidos no debate.

Mapa de interações sobre a vacinação de crianças no Twitter
Período de análise: de 16 a 22 de dezembro de 2021

Fonte: Twitter

Azul ‒ 40,6% dos perfis | 44,6% das interações
Conjunto formado por membros e influenciadores do governo que se posicionaram contrariamente à vacinação infantil. Entre os principais argumentos se destacam questionamentos sobre a segurança e a necessidade de aplicar vacinas em crianças, bem como acusações de genocídio e crueldade por parte das lideranças institucionais e sanitárias que defendem o início da vacinação infantil. As publicações desse conjunto afirmam que a pressão pela vacinação é resultado de lobby da indústria farmacêutica e que a OMS e médicos teriam feito recomendações contrárias à medida.

Vermelho ‒ 23,1% dos perfis | 24,9% das interações
Grupo composto majoritariamente por influenciadores e lideranças institucionais de esquerda, como o deputado federal @MarceloFreixo (PSB-RJ), a deputada federal @gleisi (PT-PR) e o pré-candidato ao governo de São Paulo @guilhermeboulos (PSOL-SP). Esse conjunto deu grande destaque à pressão exercida pelo governo e seus apoiadores contra os servidores da Anvisa. A recusa de Bolsonaro e do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em iniciar a vacinação é vista como um gesto de irresponsabilidade que deve gerar consequências em caso de mortes de crianças por Covid.

Verde ‒ 20,1% dos perfis | 19,0% das interações
Grupo formado por cientistas, médicos e divulgadores científicos que se posicionaram a favor da vacinação infantil e criticaram a demora do governo em iniciar a imunização de crianças. Em uma estrutura usualmente dividida entre campos partidários, é interessante notar como esse conjunto conseguiu agregar alto volume de perfis e interações mesmo sendo formado por influenciadores cuja pauta prioritária é a científica e sanitária. Entre as principais críticas, destaca-se a tentativa do governo tornar um debate técnico em um tema de debate político, sujeito a, por exemplo, consultas públicas.

Amarelo ‒ 4,1% dos perfis | 3,8% das interações
Grupo formado por perfis de centro e centro-direita, com destaque para os presidenciáveis @sf_moro (PODEMOS) e @jdoriajr (PSDB), bem como para movimentos como @VemPraRua_br. O grupo também se coloca favoravelmente à vacinação e direciona críticas duras ao posicionamento do governo federal. Assim como no grupo mais à esquerda, esse conjunto também deu grande centralidade às pressões contra servidores da Anvisa.