Veja nossos amigos aqui nimfomane.org, xnxxfr.org, fucktube, xnxxyouporn, xxx, filme porno
21 jan

Saída de Trump aumenta pressão sobre nova orientação da política externa brasileira

Atualizado em 22 de janeiro, 2021 às 6:00 pm

  • Alinhamento do Brasil com ex-presidente Trump é relacionado por críticos do governo a tensões com Índia e China para liberação de insumos da vacina;
  • Perfis alinhados ao governo buscam minimizar o impacto da transição presidencial repercutindo saudação do presidente brasileiro a Biden;
  • A participação das cantoras Lady Gaga e Katy Perry durante a cerimônia de posse mobilizou parte do debate sobre a transição americana no Brasil.

A posse de Joe Biden na Presidência dos EUA mobilizou, entre as 12h de terça (19) e as 12h de quinta (21), aproximadamente 465,3 mil postagens no Twitter no Brasil, segundo um estudo da FGV DAPP. O debate reacendeu a polarização entre os campos políticos do contexto brasileiro e intensificou a discussão sobre a necessidade de uma reorientação da relação do governo brasileiro com a nova administração americana. A execução do hino nacional dos EUA pela cantora Lady Gaga, na cerimônia na tarde de quarta (20), impulsionou o pico de menções no debate, repercutindo 309,7 mil tuítes no dia.

No mapa de interações formado em torno da posse de Biden, o principal campo (laranja) reuniu 30% dos perfis, em geral influenciadores, jornalistas e veículos de mídia, e 31% das interações, com teor majoritariamente favorável ao democrata e crítico ao governo brasileiro, retratado como alinhado ao ex-presidente Trump. O segundo maior campo, mais alinhado ao governo brasileiro, com 22,5% dos perfis e 34% das interações, destacou o cumprimento do presidente Bolsonaro a Biden e adotou tom em geral crítico ao democrata. Outros campos se concentram em elogiar as artistas que se apresentaram durante a cerimônia da sua posse, principalmente Lady Gaga e Katy Perry.

Laranja ‒ 29,8% dos perfis | 31,4% das interações
Grupo formado por jornalistas, influenciadores e veículos de mídia, adotou tom de celebração com a saída de Trump. Para além da repercussão de trechos do discurso de Joe Biden e do destaque para suas primeiras decisões como presidente, diversos tuítes apontaram que decisões da política externa brasileira em alinhamento com o governo Trump estão, atualmente, prejudicando as negociações com China e Índia pelos insumos para a vacina contra Covid-19. Entre elas, destacam-se a abstenção em relação ao pedido indiano para abolir patentes de vacinas na OMC e as postagens e declarações xenófobas de membros do alto escalão do governo contra a China. Por fim, os perfis repercutiram a concessão do perdão presidencial de Trump para Steve Bannon e celebraram a posse da primeira vice-presidente mulher e negra dos Estados Unidos, Kamala Harris.

Azul ‒ 22,5% dos perfis | 35,4% das interações
Apesar de repercutir os cumprimentos do presidente brasileiro a Joe Biden, o grupo formado por jornalistas, influenciadores e blogueiros conservadores lançou uma série de críticas ao novo líder. Os ataques miram, dentre outras coisas, a falta de imparcialidade da imprensa americana ‒ que seria mais indulgente com o democrata do que com o seu adversário nas urnas; a ironia no fato de a cerimônia de posse do presidente americano “mais popular” da história precisar de um forte aparato de segurança; e a grande possibilidade de o mandato de Biden representar desprezo pelo legado americano, uma ameaça aos valores do país e, até mesmo, uma brecha para a influência da China sobre a política dos Estados Unidos.

Rosa ‒ 16,9% dos perfis | 14,9% das interações
Mobilizado por perfis de influenciadores e canais de entretenimento, o grupo comenta sobre as artistas que se apresentaram durante a cerimônia de posse de Joe Biden. Além de elogios e aclamações acaloradas, sobretudo, às cantoras Lady Gaga e Katy Perry, perfis também evocaram performances icônicas em cerimônias de posse anteriores.

Lilás ‒ 5,0% dos perfis | 3,1% das interações
Contando com perfis de usuários em geral, o grupo compartilha memes sobre a repercussão da cerimônia de posse de Joe Biden no contexto brasileiro. Em tom de piada, postagens ironizam, por exemplo, as diversas tentativas de Donald Trump para anular as eleições que deram vitória ao democrata, além do fato de que notícias sobre a próxima edição do reality Big Brother Brasil teriam atraído mais atenção do que o evento de posse.

Das cinco principais hashtags usadas no debate sobre a transição presidencial, no Twitter, três se referem ao evento: #inigurationday e #inauguration, que aparecem em 7,4 mil e 5,1 mil postagens, respectivamente; e #celebratingamerica, em 4 mil tuítes. Por outro lado, sendo mais frequentes, os ataques a Biden miraram desde o suposto fracasso da cerimônia ‒ que teria tido menores popularidade e autenticidade do que o discurso de despedida do seu antecessor, Donald Trump ‒ até possíveis consequências desastrosas da sua agenda progressista para a história e os valores americanos. Postagens de líderes brasileiros endereçadas a Biden também tiveram forte repercussão no debate. Além de cumprimentar e parabenizar o novo chefe de Estado americano, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido), e o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), defenderam nas suas mensagens os valores da democracia e da liberdade.