24 abr

Saída de Sergio Moro do governo gera repúdio de 70% e divide base de direita no Twitter

Em grupos de WhatsApp, segundo análise da FGV DAPP, linha de defesa é de crítica à “omissão” de Moro em relação à facada sofrida por Bolsonaro. Episódio foi mencionado pelo presidente em pronunciamento no final da tarde

Atualizado em 24 de abril, 2020 às 8:22 pm

Amplo repúdio à saída de Moro no debate digital
A saída do ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, anunciada na manhã desta sexta (24) voltou a gerar amplo repúdio contra o governo, alcançando quase 70% dos perfis engajados no debate nas redes e dividindo a própria base de apoio do presidente Bolsonaro. Entre 11h e 17h de hoje, o campo de oposição ao governo (em amarelo) superou o espaço obtido na defesa do então ministro Luiz Henrique Mandetta, que chegou a mobilizar 60% dos perfis.

No campo de apoio ao governo, 74% criticam Moro
A base de direita (em azul), por sua vez, se dividiu no tom do debate, mas 74% desse campo se posicionaram em defesa do presidente e contra Moro. Influenciadores como @rconstantino, @anapaulavolei e @xicograziano lamentaram a saída, destacando que sua é demissão é uma perda no combate à corrupção e, possivelmente, um erro do governo. Por outro lado, perfis como @allantercalivre, @danielpmerj, @realpfigueiredo publicaram os primeiros ataques ao ex-juiz, criticando o pronunciamento e o acusando de agir politicamente contra Bolsonaro;

No WhatsApp, apoiadores do presidente apontam “omissão” de Moro
No WhatsApp, houve rápida tentativa de reorganização da narrativa bolsonarista, com ênfase em atritos entre Moro e Bolsonaro, como na suposta omissão em relação à investigação sobre a facada sofrida por Bolsonaro. As críticas são acompanhadas de elogios à sua atuação como juiz, mas destacam sua incompatibilidade com o governo.

 

Sobre a metodologia deste trabalho

Sobre a equipe 

Veja nossos amigos aqui porno, xnxxfr.org, xnxxyouporn, xxx, filme porno