23 maio

Promessa de mudança na política colombiana, Fico não consegue superar o engajamento de Petro no Twitter

Atualizado em 27 de maio, 2022 às 4:24 pm

  • Apesar da intensa campanha no Twitter pela eleição de Federico Gutiérrez, o grupo a favor de Gustavo Petro consegue angariar maior número de perfis e maior número de interações ‒ mais da metade do engajamento ‒ na plataforma;
  • Expectativa de vitória e acusações de uso de bots marcam debate sobre Gustavo Petro; Campanha de Fico Gutiérrez aposta em mensagem patriótica e foca em debates sobre pobreza e oportunidade para jovens;
  • Possibilidade de eleição da primeira vice-presidente negra é destaque para o público brasileiro; entre venezuelanos, há predominância de links críticos a Petro.

As eleições presidenciais da Colômbia ‒ com o primeiro turno programado para o próximo domingo (29) ‒, têm chamado a atenção das redes sociais nas últimas semanas. Entre os dias 10 e 23 de maio, foram identificadas aproximadamente 7,39 milhões de postagens em espanhol no Twitter sobre o pleito, segundo levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV DAPP). No centro desse debate, a capital colombiana, Bogotá, concentra 2,26 milhões (cerca de 36%) dos tuítes feitos durante o período; em segundo lugar fica Medellín, capital da província de Antioquia, com 886,4 mil tuítes (12%).

Evolução do debate em espanhol no Twitter sobre as eleições da Colômbia
Período: de 10 a 23 de maio de 2022

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

O momento de maior mobilização em torno das eleições colombianas na plataforma acontece no dia 22 de maio ‒ com 773,3 mil postagens ‒, quando se intensificam as campanhas em favor de Federico Gutierrez, enquanto promessa de mudança (ou de “cambio”) na política do país. De fato, das 5 hashtags usadas ao longo do período, quatro são de apoio ao candidato do Creemos: #elcambioenprimera, que aparece em 184,8 mil tuítes; #ficopresidente, em 144,2 mil; #federicoescolombia, em 98,2 mil; e #federicoimparable, em 84,6 mil tuítes. O quinto indexador, #petropresidente, que faz campanha ao seu principal concorrente, aparece em 84,7 mil postagens.

Regiões que concentram maior parte do debate em espanhol no Twitter sobre as eleições da Colômbia
Período: de 10 a 23 de maio de 2022

Fonte: Twitter

Debate geral

Mapa de interações do debate em espanhol no Twitter sobre as eleições da Colômbia
Período: de 10 a 23 de maio de 2022

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Pró-Petro – 44,43% dos perfis | 51,67% das interações
Orbitando o perfil do candidato Gustavo Petro, @petrogustavo, grupo evidencia a possibilidade do esquerdista ser eleito já no primeiro turno. No entanto, vale salientar que postagens alegam o uso de bots para confundir o eleitorado colombiano, ao veicular pesquisas nas redes sociais em que Petro teria percentual inferior a Rodolfo Hernández e Federico Gutiérrez.

Pró-Fico ‒ 31,07% dos perfis | 40,66% de interações
Movimentado pelo perfil do candidato Fico Gutiérrez ‒ @FicoGutierrez ‒ e seus apoiadores, esse grupo propaga o suposto apoio popular da Colômbia ao candidato de centro-direita, divulgando na plataforma imagens e vídeos de aglomerações de entusiastas. Além disso, também são evidenciadas as supostas prioridades desse candidato, como subsídios para os mais necessitados, diminuição das tarifas de energia e de educação para os jovens ‒ ao passo que defendem valores como patriotismo, fé e a figura de um representante próximo do povo colombiano.

Apoiadores de Fajardo e Hernandez ‒ 8,28% dos perfis | 4,97% da interações
Liderado pelos perfis dos candidatos Sergio Fajardo e Rodolfo Hernandez, @sergio_fajardo e @ingrodolfohdez, grupo de direita, além de criticar as posturas de Fico Gutiérrez e, com mais ênfase, de Gustavo Petro, menciona que seria urgente reduzir desigualdades e trazer paz e prosperidade para o povo colombiano. Chamam atenção as postagens de Hernandez, uma vez que ele apresenta declarações mais incisivas em sua conta no Twitter ao se manifestar contrário ao candidato esquerdista e declarar que seria a “vacina contra Petro” e a “mudança de verdade” que a Colômbia quer.

Mídia ‒ 5,24% dos perfis | 1,11% das interações
Composto por canais da mídia tradicional, jornalistas e usuários comuns, esse grupo denuncia ‒ por meio de vídeos ‒ que os empregadores estariam utilizando de seu lugar social e de seu poder e influência para coagir funcionários a votar em Fico Gutiérrez. Além disso, há postagens utilizando aspas no termo “democracia”, dando a entender que a democracia colombiana estaria sob algum tipo de ameaça.

Principais tuítes de cada comunidade no debate em espanhol no Twitter sobre as eleições da Colômbia
Período: de 10 a 23 de maio de 2022

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Facebook

Interações em links sobre a eleição presidencial da Colômbia em países da América Latina
Período: de 10 a 23 de maio de 2022

Fonte: Facebook | Elaboração: FGV DAPP

Entre os países latinoamericanos com o maior número de interações em links sobre as eleições na Colômbia no Facebook, a Venezuela tem maior volume, com 11.363 interações entre os dias 10 e 23 de maio. O país é seguido pelo Equador, com 11.203 interações, e depois pelo Brasil, com 9.475 interações. Também se destacam a Argentina e o México, com 4.852 e 1.703 interações, respectivamente.

Top 5 links com mais interações por país
Período: de 10 a 23 de maio de 2022

Fonte: Facebook | Elaboração: FGV DAPP

Brasil
No Brasil, os links com maior volume de interações no Facebook dão destaque para a possibilidade de uma candidatura de esquerda ganhar as eleições pela primeira vez no país e a biografia da candidata a vice de Gustavo Petro, Francia Márquez. Os links falam do ineditismo da candidatura de esquerda na liderança das pesquisas, com destaque para as falas de Petro e ameaças que o candidato tem sofrido. Conteúdos relacionados a candidata a vice-presidenta também tiveram alto volume de interações, ressaltando a relação de Márquez com as pautas ambientais e a possibilidade dela se tornar a primeira mulher negra a ser vice-presidente da Colômbia.

Equador
Os cinco links com maior volume de interações no Equador são da rede de televisão estatal venezuelana, Telesur. Os conteúdos noticiam o favoritismo de Gustavo Petro nas pesquisas de opinião, falam das violências sofridas por Petro e sua candidata a vice, Francia Márquez, e noticiam a denúncia feita por Márquez, de que os EUA poderia estar tentando intervir nas eleições.

México
No México, um portal latinoamericano de esquerda, Resumen Latinoamericano, fala da liderança de Gustavo Petro nas pesquisas e das ameaças que o candidato tem sofrido. Uma coluna publicada no portal mexicano El Financiero sobre a possível vitória de Petro e os erros da elite econômica colombiana também teve alto número de interações. O também mexicano Aristegui Noticias circulou o anúncio da desistencia de Ingrid Betancourt do pleito, enquanto o portal López-Dóriga Digital tratou sobre as declarações de Petro, afirmando que o atual presidente pode interferir nas eleições. Um vídeo da vice de Petro, Francia Márquez, falando sobre a desigualdade e a violência na Colômbia, também teve alto volume de interações no país.

Venezuela
Os links com mais interação na Venezuela associam o candidato Gustavo Petro ao totalitarismo e a crimes eleitorais, trazendo declarações que afirmam que ele pode ser um risco para a América Latina. O portal venezuelano La Patilla destaca a declaração do senador colombiano Carlos Felipe Mejía, sobre a possibilidade de Petro estabelecer um regime totalitário pior que Cuba e Venezuela e um link com declarações de Petro, comparando o atual presidente da Colômbia, Iván Duque, ao presidente venezuelano Nicolás Maduro. O portal liberal sediado em Miami, Panam Post, destaca o afastamento do prefeito de Medellín por interferência nas eleições, a atuação do estrategista de comunicação Amauri Chamorro na campanha de Petro e as declarações do escritor peruano Mario Vargas Llosa, preocupado com a possibilidade da esquerda ganhar as eleições colombianas e brasileiras.