Veja nossos amigos aqui nimfomane.org, xnxxfr.org, fucktube, xnxxyouporn, xxx, filme porno
25 nov

No Rio, união do centro com a esquerda isola a direita nas redes

Atualizado em 26 de novembro, 2020 às 6:07 pm

  • Oposição ao atual prefeito engaja perfis ligados à política institucional e usuários de baixo engajamento político, isolando grupo de apoio ao atual prefeito;
  • No Facebook, ataques sincronizados buscam atingir Paes e aliança da esquerda com o centro protagoniza frente contra o atual prefeito;
  • No Twitter, 78% dos perfis tem grande resistência a Crivella e demonstram simpatia a Eduardo Paes. 14% apoiam o atual prefeito e atacam Paes.

Um monitoramento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV DAPP) identificou cerca de 335 mil tuítes sobre a eleição para a prefeitura do município do Rio de Janeiro entre as 17h do dia 15 de novembro e as 9h do dia 24 de novembro. Mais de 158 mil perfis se engajaram no debate, divididos em três grandes grupos.

Mapa de interações sobre a eleição para prefeitura do Rio de Janeiro
De 15 de novembro 17h a 24 de novembro 9h

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

O maior deles (em cor amarela) mobilizou 44,2% dos perfis e reuniu 30,3% das interações, composto por perfis que já vinham debatendo as eleições cariocas desde o primeiro turno, como os influenciadores Felipe Neto, Mariliz Pereira Jorge e Gregório Duvivier, ou ligados à política institucional carioca, como as candidatas à prefeitura Benedita da Silva (PT) e Renata Souza (PSOL), o deputado federal, Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). Os tuítes direcionaram críticas à possibilidade de reeleição de Marcelo Crivella e, com ressalvas, declaram apoio à eleição de Eduardo Paes.

O segundo maior grupo (em rosa), com 33,5% dos perfis, foi também formado por usuários que publicaram tuítes críticos à presença de Crivella no segundo turno. Há diferença, no entanto, em relação às características dos perfis mapeados no grupo anterior, com a predominância de perfis jovens, que utilizaram-se de humor e memes para direcionar críticas ao candidato do Republicanos. Apesar de reunir um número menor de perfis, esse grupo agregou o maior número de interações, com 42,5% dos retuítes do debate. A cantora Anitta foi a terceira maior influenciadora desse conjunto.

Já o terceiro grupo (em azul) contou com apenas 13,7% dos perfis e 20,2% das interações do debate. Foi formado por políticos e influenciadores alinhados à direita, alguns deles com ligações com o governo federal. Os deputados Márcio Labre (PSL-RJ) e Otoni de Paula (PSC-RJ) obtiveram grande centralidade na defesa da reeleição de Marcelo Crivella. Houve, no entanto, predominância de ataques à candidatura de Eduardo Paes, com tuítes que repercutiram a declaração de Crivella sobre suposto acordo entre Paes e o PSOL pela Secretaria de Educação e direcionaram críticas à Rede Globo e outros partidos de esquerda.

No Facebook, grupos pró Crivella se mobilizam organizadamente contra Paes, e aliança da esquerda com o centro protagoniza em frente contra o atual prefeito

Entre 15 e 24 de novembro foram postadas cerca de 32 mil publicações referentes à disputa para prefeitura do Rio de Janeiro. Esses posts foram publicados por 8,4 mil páginas e grupos públicos diferentes, alcançando 3,9 milhões de interações totais, que é a soma de curtidas, comentários, compartilhamentos e reações.

Verifica-se um cenário em que a esquerda impossibilitada de colocar um candidato no segundo turno, opta por apoiar maciçamente a forte candidatura de centro, isolando e explorando as contradições do grupo do atual prefeito. Esse conta basicamente com apoio de simpatizantes da direita populista e segmentos neopentecostais. Esse cenário observa-se pode se tornar uma proxy potencial para futuros pleitos.

O volume de interações obteve crescimento entre 15 e 19 de novembro, momento em que políticos e celebridades passaram a declarar apoio à candidatura de Eduardo Paes e em que a campanha de Crivella, por meio, principalmente do perfil do deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ), estruturou as narrativas em ataque a Eduardo Paes.

Evolução do engajamento em posts sobre a disputa para a prefeitura do Rio de Janeiro no Facebook
De 15 de novembro 17h a 24 de novembro 16h

Fonte: Facebook | Elaboração: FGV DAPP

No dia 16 de novembro, ocorreram as principais postagens com posicionamento de voto para o segundo turno. Destacam-se, entre as publicações com mais interações, as declarações de apoio a Paes feitas por celebridades como o cantor Tico Santa Cruz e o ator Bruno Gagliasso. A rejeição da cantora Anitta à ida de Crivella para o segundo turno também foi mencionada, mas em um post do deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) criticando a cantora. Entre as lideranças política de esquerda, o deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) recomendou que seus eleitores não votassem em Crivella e os deputados federais do PSOL, Marcelo Freixo (RJ) e Sâmia Bomfim (SP) celebraram o desempenho ruim de candidatos apoiados por Jair Bolsonaro, ressaltando a situação de Crivella no segundo turno.

Já no dia 19 de novembro, observou-se o maior pico do período, com mais de 770 mil interações em 5,7 mil postagens. Na manhã desse dia, o prefeito Marcelo Crivella participou de uma live no perfil de Otoni de Paula, e acusou o PSOL de ter um acordo com Paes para controlar a secretaria de educação, com o objetivo de implementar políticas que incentivam a pedofilia. Esse vídeo soma, atualmente, cerca de 107 mil visualizações, tendo sido compartilhado 611 vezes por 337 páginas e grupos públicos distintos. O vídeo segue ativo no perfil de Otoni de Paula.

O vídeo fez com que um movimento que já vinha se estabelecendo desde o dia 16 de novembro se consolidasse: a esquerda se mobilizou em peso na campanha contra Crivella. Ainda no dia 19, diversos atores políticos do campo da esquerda fizeram publicações em resposta às acusações de Crivella. O post com mais interações no dia foi o vídeo em resposta de Marcelo Freixo, que alcançou 27 mil interações e obteve cerca de 201 mil visualizações. Para além de Freixo, os deputado federal David Miranda (PSOL), o vereador Tarcísio Motta (PSOL) e a candidata à Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, Élika Takimoto (PT), também fizeram publicações ironizando e rechaçando a fala de Crivella, somando cerca de 20 mil interações.

Top 10 páginas e grupos públicos com mais interações sobre a disputa para a prefeitura do Rio de Janeiro
De 15 de novembro 17h a 24 de novembro 16h

Fonte: Facebook | Elaboração: FGV DAPP

Entre as dez páginas com mais engajamento, destacam-se as páginas de Marcelo Crivella e de Otoni de Paula, com mais de 350 mil interações. Alinhadas a Crivella, também estão a página de fã “Crivella Boladão” e a do veículo alinhado ao governo “Jornal da Cidade Online, que somam cerca de 179 mil interações. A página oficial de Eduardo Paes e o grupo “Eduardo Paes – Por um Rio Melhor”, dedicado à sua campanha, somaram 179 mil interações. Por fim, destacam-se os perfis de políticos do PSOL, Marcelo Freixo e Tarcísio Motta, que, em campanha contrária à eleição de Crivella, somaram 171 mil interações.

Já na contagem por post, das 50 páginas que mais fizeram publicações, trinta são dedicadas à defesa da candidatura de Marcelo Crivella ou ao apoio do presidente Jair Bolsonaro, e sete fazem referência à campanha de Eduardo Paes ou à esquerda de modo geral. Esse número demonstra o engajamento da base de apoio do presidente à candidatura de Crivella no segundo turno.