06 abr

Lula volta a se movimentar nas redes sociais e Bolsonaro perde a vantagem no Twitter e no Instagram

Atualizado em 7 de abril, 2022 às 7:45 pm

  • Com maioria dos perfis, grupo pró-Lula no Twitter critica a alta de preços no país; já o grupo pró-Bolsonaro, que lidera em engajamento, exalta ações do governo nas áreas de segurança, economia e saúde;
  • Perfis de @SF_Moro e @jdoriajr engajam a mesma comunidade no Twitter; já @eduardoleite_, @simonetebetms e @cirogomes se mantém à margem das principais interações na plataforma;
  • Bolsonaro lidera com folga apenas no Facebook; já Ciro Gomes se mantém na liderança no YouTube.

Após ter perdido a liderança de visualizações no YouTube para Ciro Gomes, Bolsonaro agora enfrenta forte aproximação de Lula em volume de interações no Twitter e no Instagram. É o que mostra levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV DAPP), que entre 07 de março e 03 de abril, identificou mais de 46,6 milhões de interações e visualizações nos perfis, páginas e canais dos presidenciáveis Jair Bolsonaro (PL), Lula (PT), Ciro Gomes (PDT), Sergio Moro (UNIÃO), João Doria (PSDB), Simone Tebet (MDB) e Eduardo Leite (PSDB), no Twitter, Facebook, Instagram e YouTube.

Bolsonaro apresentou grande vantagem em volume de interações em seu perfil no Instagram, Facebook e Twitter durante os primeiros meses de 2022. O levantamento do mês de março, no entanto, identifica uma alteração nesse cenário, com o perfil do ex-presidente Lula se aproximando no Twitter e mostrando grande capacidade de engajamento no Instagram. O Facebook foi a única rede em que Bolsonaro se manteve com grande distância em relação aos seus adversários. O YouTube, por sua vez, se mostra cada vez mais predominado pelo pedetista Ciro Gomes, com mais que o dobro de visualizações do que o canal do segundo colocado, Jair Bolsonaro.

Mapa de interações de menções a presidenciáveis no Twitter
Período: de 07 de março a 04 de abril

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Vermelho ‒ 34,7% dos perfis | 29,1% das interações
Liderado por @LulaOficial, o grupo conta com políticos de esquerda, além de artistas, jornalistas e perfis de humor críticos ao governo federal, para comentar ‒ em tom de indignação ‒ as altas recentes nos preços dos combustíveis no país. Outras pautas incluem manifestações a favor do petista no festival de música Lollapalooza; notas de repídio a declarações irônicas do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) a respeito a jornalista Miriam Leitão, e a lembrança dos quatro anos do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes.

Azul ‒ 25,8% dos perfis | 50,6% das interações
Mobilizado por políticos de direita, e blogueiros e influenciadores digitais da base de apoio ao governo, o grupo orbita postagens de @jairbolsonaro que trazem desde ações do governo federal ‒ principalmente, nas áreas de infraestrutura, segurança e economia ‒ até comentários triviais do presidente sobre, por exemplo, programas de televisão, vídeos com deepfake e manifestações públicas contra sua gestão. Dentre as entregas do governo, Bolsonaro lista o sucesso das transações bancárias por pix, a redução de impostos federais em produtos da cesta básica, a entrega de títulos a produtores rurais e ampliação de acesso a tratamento odontológico pelo SUS.

Lilás ‒ 23,3% dos perfis | 7,0% das interações
Orbitando artistas, canais de mídia alternativa e canais de entretenimento, o grupo ‒ que inclui o perfil de @EduardoLeite_ ‒ compara conquistas da cantora @anitta (que atingiu, em final de março, a primeira posição no ranking de músicas mais tocadas no serviço de streaming Spotify) com possíveis resultados das eleições presidenciais. Postagens preveem ora a derrota de Bolsonaro, ora a vitória de Lula no pleito. Perfis arriscam, ainda, palpites sobre os desfechos do reality show Big Brother Brasil e da Copa do Mundo deste ano, que terminaria com a seleção brasileira vitoriosa.

Verde ‒ 4,6% dos perfis | 5,5% das interações
Relativamente heterogêneo, o grupo inclui os perfis de @SF_Moro e de @jdoriajr, de políticos de direita e de centro-direito, e canais de mídia alternativa e de movimentos sociais conservadores. Postagens se concentram em comentar desdobramentos da Operação Lava Jato ‒ sobretudo, envolvendo o ex-presidente Lula ‒; dirigir críticas a posturas e atitudes do ex-ministro da Segurança a respeito de processos judiciais em que estaria implicado e da sua indecisão quanto a concorrer à Presidência; e tentar ora defender, ora atacar a imagem do jurista Deltan Dallagnol.

Principais tuítes dos grupos no mapa de interações
Período: de 07 de março a 04 de abril

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Interações em perfis de presidenciáveis

Evolução de interações nos perfis de presidenciáveis no Twitter
Período de análise: de 07 de março a 03 de abril | Agregado por semana

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Após diversas semanas em que obteve mais de 1 milhão de interações no início de 2022, o perfil de Bolsonaro apresentou tendência de queda no mês de março, obtendo a marca em apenas um das quatro semanas analisadas. A semana de 28 de março foi a que o presidente menos obteve interações no seu perfil em 2022.

O ex-presidente Lula apresentou aumento de interações após um período de estagnação, em que se manteve abaixo das 500 mil interações por semana. Dos 27 dias analisados, Lula obteve mais interações que Bolsonaro em dez. Um encontro com artistas no Rio de Janeiro, que reuniu nomes como Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Teresa Cristina, Gaby Amarantos, Antônio Pitanga alavancou as interações do petista, com destaque para uma publicação com a cantora Ludmilla.

Após um período de descolamento e estabilização como terceiro nome com mais interações no Twitter, Sergio Moro apresentou tendência de queda e obteve volume de interações muito próximo ao de Ciro Gomes.

Facebook

Evolução de interações nos perfis de presidenciáveis no Facebook
Período de análise: de 07 de março a 03 de abril | Agregado por semana

Fonte: Facebook | Elaboração: FGV DAPP

O Facebook é a rede em que o presidente Jair Bolsonaro apresenta a maior distância em relação aos outros pré-candidatos. Diferente do Twitter, em que suas publicações de maior engajamento foram sobre temas frívolos, como o BBB, no Facebook, Bolsonaro obteve alto volume de interações em posts sobre a inflação nos alimentos e combustíveis e um vídeo em que chorou durante um discurso.

Apesar da longa distância para Bolsonaro, nota-se aumento de interações no perfil de Lula, que oscilou entre 600 e 500 mil interações nos primeiros meses de 2022 e, nas últimas três semanas de março, obteve volume acima de 840 mil interações. Assim como Bolsonaro, também é possível notar diferenças no uso das plataformas pelo petista, com as publicações de maior volume de interações repercutindo encontros partidários e ações de pré-campanha.

Os nomes da chamada “Terceira via” seguem sem obter volume significativo de interações no Facebook. Tendo o maior pico do período ocorrido na página de Ciro Gomes, em uma publicação sobre o aumento do preço dos combustíveis, em 11 de março.

Instagram

Evolução de interações nos perfis de presidenciáveis no Instagram
Período de análise: de 07 de março a 03 de abril | Agregado por semana

Fonte: Instagram | Elaboração: FGV DAPP

Após picos próximos a 5 milhões de interações no início de 2022, em março, o perfil de Jair Bolsonaro se estabeleceu em uma camada intermediária, entre 1,5 e 3 milhões de interações por semana. Entre as publicações de maior volume de interações na plataforma, destacam-se o post sobre seu aniversário, anúncios sobre redução de impostos federais e ações da caixa para incentivo à moradia.

O perfil de Lula apresentou crescimento, ficando à frente do perfil de Bolsonaro na semana de 14 de março e a apenas 5 mil interações na semana de 28 de março. Interessante notar o consistente crescimento da página do petista nos três últimos períodos de março, deixando para trás oito semanas de estagnação abaixo de 1 milhão de interações semanais. O aumento esteve associado a publicações com diversas celebridades brasileiras e internacionais, como os cantores Ludmilla e Lenny Kravitz.

Após rivalizar com Lula pela segunda colocação em volume de interações no Instagram, Sergio Moro apresentou leve queda e, com o aumento do petista, se consolidou na terceira colocação.

YouTube

Evolução de interações nos perfis de presidenciáveis no YouTube
Período de análise: de 07 de março a 03 de abril | Agregado por semana

Fonte: YouTube | Elaboração: FGV DAPP

Com baixo volume de interações nas outras redes, Ciro Gomes segue consolidado na primeira colocação em visualizações no YouTube. O pico de visualizações obtido na primeira semana de 07 de março foi gerado por um vídeo de apenas 40 segundos em que Ciro desmente a falsa acusação de agressão à sua ex-esposa Patrícia Pillar.

Bolsonaro segue na segunda colocação, agora ameaçado por Lula, que obteve pouco menos de 200 mil visualizações que o atual presidente. O canal de Bolsonaro se mantém ancorado, principalmente, nas lives realizadas às quinta-feiras, mas um vídeo sobre o evento de filiação de Bolsonaro no PL também se destacou no período.

Lula esteve à frente de Jair Bolsonaro na semana de 14 de março, com destaque para vídeos em que criticou o aumento no preço dos combustíveis, se posicionou contrariamente à liberação do garimpo em terras indígenas e lamentou a piora das condições de vida da população desde o impeachment de Dilma Rousseff.