08 nov

Diante da queda do Ministro da Defesa, o uribismo busca consolo no Facebook

Em meio à tempestade no Twitter causada pela renúncia do ministro Botero, o Linterna Verde analisou as narrativas do Uribismo militante em grupos do Facebook. É assim que lambem as feridas e se agarram ao discurso

Por Carlos Cortés e Pablo Espinosa

Atualizado em 28 de janeiro, 2020 às 3:57 pm

O ministro da Defesa, Guillermo Botero, renunciou na última quarta-feira após um debate sobre uma moção de censura no Congresso e uma forte pressão nas redes sociais. Entre os dias 5 e 7 de novembro, as conversas no Twitter foram dominadas por vozes que primeiro pediram sua saída e depois comemoraram que ele tinha ido embora.

Menções no Twitter sobre “Guillermo Botero” ou “Ministro Botero”. Fonte: Sysomos

Entre os tuítes sobre Botero, hashtags com críticas dominaram a conversa: #renuncieministrobotero (renuncie ministro Botero) com 20,3% dos tuítes; #elministrodedefensadebe (o ministro da defesa deve) com 7,8%; #mocióndecensura (moção de censura) com 6%, e #lequedógrande (ficou grande) com 5,2%.

Tuíte ¹: Idiotas, apresento a vocês o novo Ministro da Defesa: General Luis Fernando Navarro, Comandante das Forças Militares que vocês tanto odeiam. Repitam comigo, imbecis: “Aos que não querem caldo, deem duas tigelas”.

Tuíte ²: O Presidente Iván Dique nomeia como Ministro da Defesa o General Luís Fernando Navarro, atual Comandante da @FuerzasMilCol após aceitar a renúncia do @mindefensa Guilhermo Botero

Tuíte com mais RT a favor das ações governamentais

Tuíte: Conclusão do debate de hoje contra o Ministro Botero: 7 crianças foram mortas em um bombardeio e agora querem que acreditemos que essas crianças foram “bons mortos”. Após esta confissão, não só o Ministro Botero deveria renunciar, mas também a cúpula militar.

Tuíte com mais RT contra as ações governamentais

A renúncia de Botero se dá em um momento muito complexo para o governo: as mobilizações sociais estão em ascensão, a liderança do presidente Iván Duque está em dúvida (com a já famosa #DeQuéMeHablasViejo – Do que está falando, cara?), e as eleições regionais foram um golpe de opinião negativa para o Centro Democrático. Neste contexto, e em meio a uma conversa extremamente adversa no Twitter, o uribismo militante se refugiou no Facebook para lamber suas feridas.

Através de uma análise dos espaços públicos do Facebook (páginas de fãs e perfis públicos) com conteúdo ligado a “Guillermo Botero”, “Ministro Botero” e “Ministro da Defesa”, identificamos 500 entradas sobre o tema com mais de 400 mil interações em dois dias.

Atividade no Facebook em torno do debate sobre a moção de censura e a renúncia de Botero. Fonte: BuzzSumo

A maior parte da atividade sobre esse tema concentrou-se nos perfis e publicações dos meios de comunicação, das estações de rádio locais ou dos canais de televisão. Mas a atividade se destaca nas páginas do público uribista. Ao filtrar por conteúdos públicos com mais de 500 interações nos últimos três dias (curtidas, compartilhamentos e comentários) encontramos publicações de dois congressistas do Centro Democrático – a senadora Paola Holguín (77 mil seguidores) e o deputado Gabriel Vallejo Chujfi (10 mil) – e um grupo de simpatizantes uribistas chamado ‘Fuerza Democrática Colombia’ (Força Democrática Colômbia) (publicação 1, publicação 2) (130 mil). Estas quatro publicações totalizam mais de 3.300 compartilhamentos e 610 comentários.

Ao analisar esses conteúdos, encontramos quatro narrativas principais com as quais o uribismo tenta responder à conjuntura política:

Narrativa 1: Apoio total para as Forças Armadas e água suja para as FARC

Analisando a frequência de palavras nestas 610 mensagens, descobrimos que, depois dos termos associados ao ministro e aos menores de idade assassinados no bombardeio, o que mais se menciona são as Forças Armadas e a guerrilha. São mensagens principalmente de apoio aos militares, e que procuram deixar clara a responsabilidade dos grupos armados no recrutamento ilegal de crianças.

Palavras-chave mais usadas | Frequência
Sinónimos de niños/menores
Sinónimos ministro
Sinónimo Fuerzas Armadas
Sinónimo Presidente/Gobierno
Sinónimo Roy Barreras
“izquierda”
“nuestros”

Muitas das publicações tentam justificar a operação militar. Estas abordagens ecoam a defesa do agora ex-ministro Botero, que queria evitar o questionamento sobre ter escondido o resultado do bombardeio para focar no fato do recrutamento ilegal de menores.

O exército terá que chegar a um acampamento das FARC ou do ELN (Exército de Libertação Nacional) e perguntar primeiro: Os senhores estão usando crianças como escudos ou objetos sexuais? É para saber se os combatemos ou se, pelo contrário, devemos nos deixar ser fuzilados… Desculpe interromper seu grande trabalho, senhores guerrilheiros.

Texto em formato de “meme” que justifica as ações militares sobre o bombardeio. Fonte: Facebook

Algumas vozes até pediram um aprofundamento da abordagem militarista. Uma abordagem que, justamente, vai contra as recentes denúncias de execuções extrajudiciais e de irregularidades nas forças de segurança.


Comentário 1: Sr. Presidente nomeie um Ministro da Defesa Militar e pronto, muito simples.

Fonte: Facebook / @Fuerzademocraticacolombiana

Comentário 2: Nós, militares e ex-militares, não estamos muito felizes com este palhaço para este ministério, precisamos de gente para tomar decisões firmes e sábias de acordo com o modus operandi de todos os grupos fora da lei … o ministro acha que está levando salgadinho para a Comfenalco…

Fonte: Facebook / @Fuerzademocraticacolombiana

Comentário 3: Mas esperamos que apoiem com mais ímpeto os militares, como deve ser. Um ministro da defesa não deve, tem de ser um militar.

Fonte: Facebook / @paolaholguinm

Narrativa 2. É tudo culpa da esquerda e de Roy Barreras.

Com o debate bem-sucedido, Roy Barreras foi registrado como o novo inimigo dos uribistas. O senador do La U (Partido Social de Unidade Nacional) é vinculado por muitos dos usuários à esquerda. Para outros, ele entrou para o clube dos arqui-inimigos deste grupo político, no qual já estavam os membros Gustavo Petro, Iván Cepeda e o Polo Democrático.

Comentário 4: E os esquerdistas asquerosos atacam. Cepeda. Rois. Polo e alguns outros ratos engravatados

Fonte: Facebook / @Fuerzademocraticacolombiana

Comentário 5: Roy Barreras, inimigo da Colômbia, ansioso por marmelada, louco para se esconder no governo, faça o debate contra os guerrilheiros que voltaram às montanhas e estão recrutando crianças, agora não finja que está assustado com os resultados do que por $$$$$ ajudou a criar, a paz que você tirou de suas mãos

Fonte: Facebook / @Fuerzademocraticacolombiana

Comentário 6: Mas quando a guerrilha mata pessoas inocentes, ninguém sai de casa para reclamar, a não ser quando eles bombardeiam essas tralhas terroristas porque não fazem o mesmo quando a guerrilha massacra o Sr. Roy Barreras, eu nunca o vi defender o povo das atrocidades que a guerrilha tem cometido.

Fonte: Facebook / @paolaholguinm

Comentário 7: DIGA A ROY BARRERA PARA PEGAR O FUZIL E DEFENDER AS COMUNIDADES E PARE DE ACUSAR AS FORÇAS ARMADAS E POR QUE VOCÊS NÃO CONDENAM OS TERRORISTAS QUE ESTÃO NO CONGRESSO SENDO ASSASSINOS E QUANTAS CRIANÇAS ESTUPRARAM E ASSASSINARAM ISSO SE NÃO BRIGAM PARA QUE ELES PAGUEM POR ISSO CALE-SE ROY VOCÊ É ESQUERDISTA VOCÊ FICOU SENTIDO POR BOMBARDEAREM SEUS CÚMPLICES

Fonte: Facebook / @paolaholguinm

Vários memes inclusive vincularam a renúncia do ministro a uma “ação orquestrada” da esquerda para desacreditar o governo, uma narrativa que se alimenta do discurso promovido pelo Centro Democrático.

Memes ligando a demissão do Ministro Botero a uma “ação orquestrada” da esquerda. Fonte: Facebook

Narrativa 3. Uribe, Ministro da Defesa

A ideia de Álvaro Uribe fazer parte do governo não é nova. Quando a campanha presidencial de 2018 estava apenas começando, já se falava sobre ele ser da chapa vice-presidencial e, eventualmente, ministro da defesa. Este último argumento voltou ao centro das narrativas uribistas.

Comentário 8: Apoiamos o MINISTRO DA DEFESA, DUQUE, CENTRO DEMOCRÁTICO, URIBE NÃO OS COMUNISTAS, SOCIALISTAS, CASTROCHAVISTAS, POPULISTAS E A ESQUERDA.

Fonte: Facebook / @Fuerzademocraticacolombiana

Nos últimos dias, a conversa até saiu desses grupos para se tornar uma suposta notícia do El Espectador. E embora o ColombiaCheck a tenha distorcido, o desejo ainda assombra esses grupos. A ideia de Uribe como Ministro é um resgate para o Presidente Duque: o regresso encarnado da Segurança Democrática.

Comentário 9: Se for necessário…. Dr Uribe Ministro da Defesa.

Fonte: Facebook / @paolaholguinm

Comentário 10: #NOMBRENAURIBE (nomeia Uribe)

Fonte: Facebook / @paolaholguinm

Narrativa 4. O retrovisor

Mais de um ano após a mudança de governo, o uribismo continua se apegando ao passado. O presente do governo e a queda do Ministro obedecem à implementação da paz – a paz de Santos.

Comentário 11: Roy Barreras, inimigo da Colômbia, ansioso por marmelada, louco para se esconder no governo, faça o debate contra os guerrilheiros que voltaram às montanhas e estão recrutando crianças, agora não finja que está assustado com os resultados do que por $$$$$ ajudou a criar a paz que você tirou de suas mãos

Fonte: Facebook / @Fuerzademocraticacolombiana

Comentário 12: Ninguém comemora ou apoia a morte de ninguém. Mas aqueles que professam a falsa paz, os recrutadores e sequestradores desses menores, que os integram às FARC para manter o negócio do narcotráfico, são mais responsáveis. Logo, a questão é o recrutamento forçado de menores por grupos terroristas.

Fonte: Facebook / @Fuerzademocraticacolombiana

Comentário 13: Consequências de uma falsa paz….crianças inocentes, mas recrutadas e treinadas pelas FARC… treinadas para matar…..

Fonte: Facebook / @paolaholguinm

As conversas nestes espaços de militância política são frequentemente vistas longe do centro do debate (a janela de Overton do que é aceitável discutir). Mas embora seja uma visão apaixonada e acrítica – risível para muitos – ela não surge isolada e não está desconectada. Neste caso, retoma o discurso dos líderes do uribismo e ao mesmo tempo o alimenta.

Talvez o exemplo mais claro de como o uribismo interpreta e fala à sua base foi dado pelo senador Álvaro Uribe ao rejeitar a marcha convocada para 21 de novembro (veja o vídeo abaixo). As palavras de Uribe reúnem todas essas narrativas e as reforçam na discussão pública.

O discurso de Uribe parece ser uma defesa do governo, mas também pode ser interpretado como uma forma de dar corda ao presidente. A questão é se, em meio a esse complexo contexto político, o uribismo pode permitir-se, como acontece nesses grupos do Facebook, conversar apenas entre si. Sem dúvida, esta estratégia foi rentável para fazer oposição, mas não parece igualmente útil para governar.

Tuíte: Comunicado do Centro Democrático sobre a greve convocada para 21 de novembro

*A Sala de Democracia Digital é uma ação da FGV DAPP, em parceria com Chequeado, na Argentina, Linterna Verde, na Colômbia e Ojo Público, no Peru. Nós monitoramos o debate público nas redes sociais pela América Latina.

A análise original está disponível no site do Linterna Verde aqui.

Veja nossos amigos aqui porno, xnxxfr.org, xnxxyouporn, xxx, filme porno