Veja nossos amigos aqui nimfomane.org, xnxxfr.org, fucktube, xnxxyouporn, xxx, filme porno
12 nov

#DebateEnRedes: Como o tema “dólar” impactou a rede entre as primárias (PASO) e as eleições

Por Celeste Gómez Wagner e Mariela García

Atualizado em 27 de dezembro, 2019 às 12:01 pm

Se você tem apenas alguns segundos, leia estas linhas:

  • Os temas relacionados à moeda norte-americana motivaram na Argentina mais de meio milhão de tuítes compartilhados entre as primárias (PASO) e as eleições de 27 de outubro.
  • O pico das interações ocorreu um dia após a vitória de Alberto Fernández e coincidiu com o anúncio das restrições cambiais.
  • As duas mensagens mais compartilhadas no Twitter foram publicadas no domingo, dia 27, e estavam relacionadas com a possível alta do dólar no dia seguinte.

O dólar foi um dos temas que marcaram as pautas políticas, econômicas e dos meios de comunicação nos últimos tempos. O Chequeado mediu as interações que ocorreram no Twitter e complementou com o monitoramento de buscas online, com foco no contexto eleitoral. Aqui, uma análise dos principais resultados.

Mais de meio milhão de tuítes (517.300) sobre o dólar foram compartilhados no país entre 9 de agosto, dois dias antes das eleições primárias (PASO), e 28 de outubro, o dia seguinte às eleições gerais. Quase 70% foram mensagens compartilhadas de outras contas.

De acordo com dados do Banco Central da República Argentina (BCRA), o preço do dólar de varejo para a compra passou de $46,54 para $57,29 (valores em pesos argentinos) entre a sexta-feira anterior e a segunda-feira seguinte às eleições primárias. Alguns meios de comunicação (veja aqui e aqui) viram isso como uma reação negativa dos mercados à vitória de Alberto Fernández (Frente de Todos). A partir desse momento, o preço da moeda subiu para $62 em 30 de agosto e começou a cair nos primeiros dias de setembro, flutuando entre 58 e 59 pesos. Em outubro, o dólar permaneceu em torno de $60 até atingir $63 na sexta-feira anterior às eleições gerais. Com variações, esta é a cotação que mantém até hoje, como mostram as informações oficiais.

Evolução do preço do dólar

Plano 1: Variação absoluta
Plano 2: Variação relativa

Gráfico gerado com informação pública do Banco Central sobre a taxa de câmbio comercial de referência para compra na Cidade de Buenos Aires.

As buscas online expressaram um claro interesse por este tema. Utilizando a ferramenta Google Trends, o Chequeado observou que a palavra “dólar” obteve um pico de pesquisas em 12 de agosto de 2019, quando ocorreu o referido aumento.

Por outro lado, se nos concentrarmos nas buscas que motivaram a palavra “cepo”, observamos um pico no dia 1º de setembro. Nesse dia, por meio de um decreto, o Banco Central limitou a venda de dólares a pessoas físicas a US$ 10 mil por mês. Os jornais impressos alertaram nas suas primeiras páginas sobre a saída de depósitos.

No entanto, no Twitter, o pico de interações não foi registrado após as primárias, mas sim após as eleições gerais de outubro. Nesse dia, às 8h da manhã, o presidente do BCRA, Guido Sandleris, anunciou a aplicação de novas restrições cambiais para “preservar as reservas”. Com esta medida, “o valor máximo que as pessoas físicas podem comprar sem autorização prévia do Banco Central” foi reduzido de US$ 10 mil para US$ 200 por mês.

Interações no Twitter

Quanto às hashtags mais utilizadas nas mensagens do Twitter, além de “#dolar”, destacou-se “#debatear2019”, a hashtag oficial promovida pela Câmara Nacional Eleitoral sobre os debates anteriores à eleição (veja aqui e aqui). “#albertopresidente”, “#argentina” e “#macrieselproblema” foram as hashtags mais bem classificadas.

Dos dois candidatos que disputaram a eleição, 32 mil tuítes relacionaram “dólar” ao presidente Mauricio Macri, da Juntos por el Cambio (Juntos pela Mudança) contra 18 mil relacionados a Fernández. Vale a pena esclarecer que estas menções podem ser a favor ou contra.

No período analisado, as duas mensagens mais compartilhadas no Twitter em relação ao dólar foram publicadas no dia da eleição. Com 11,5 mil retuítes, o tuíte mais compartilhado foi publicado por @Danigadan, usuária com apenas 178 seguidores que vem registrando atividade desde 2013. Em sua mensagem ela criticou aqueles que votaram no candidato da Frente de Todos com esperança de que o preço da moeda caísse e obteve 43,5 mil curtidas.

Tuíte: Se você votou em Fernandez e pensou que o dólar ia cair para $10, a nafta ia valer $15 por litro e que você ia comer com $50, deixe-me dizer que além de idiota você é ignorante.

O segundo tuíte mais compartilhado foi publicado pelo usuário @flacopod, com mais de 344 mil seguidores e atividade desde 2015. Sua mensagem incluiu o vídeo do cantor de trap Duki, onde ele incita o youtuber Yao Cabrera a brigar aos gritos de “desce, bastardo, desce”. No tuíte ele escreveu “Eu quando vir o dólar amanhã”, como uma piada sobre a possibilidade da moeda reduzir seu preço e conseguiu 33 mil curtidas.

Em terceiro lugar dentre os mais compartilhados ficou o tuíte da apresentadora, atriz e modelo Luciana Salazar (@lulipop07), usuária com 1,5 milhão de seguidores e intensa atividade nas redes. Em 15 de outubro publicou:

Tuíte 2: E se você der o país para um grupo de Ineptocratas incompetentes, eles o devolvem com 60% de inflação interanual, 6 milhões de pobres a mais, dívida externa impagável, 10% de desempregados e o dólar a 60 pesos. Uma mulher (Lagarde) lhes deu dinheiro e vocês fizeram qualquer coisa.

RT: Macri, sobre o populismo: “É como se você entregasse a administração de sua casa para sua esposa, usasse o cartão e um dia eles viessem para hipotecar a casa”.

Salazar incluiu em seu tuíte um áudio publicado por @elcancillercom, uma plataforma digital para notícias e assuntos atuais, onde pode-se ouvir Macri dizer em uma reportagem telefônica para a Radio Mon (de Pergamino) que “o populismo hipoteca seu futuro para que você viva um presente e então quando acaba, acabou”; e acrescenta: “é como se você entregasse a administração de sua casa para sua esposa, usasse o cartão e um dia eles viessem para hipotecar a casa”. A mensagem recebeu 39.000 curtidas.

Por fim, dentre as contas mais ativas no Twitter (em número de menções, respostas ou compartilhamentos relacionados ao dólar), foram destacados os usuários já mencionados @Danigadan e @flacopod, e somaram-se a eles @martinpasi22 (usuário com 209 seguidores e atividade desde 2019); Gustavo Sylvestre (@Gatosylvestre), jornalista e apresentador da Rádio 10 e C5N com mais de 460 mil seguidores; e Roberto Cachanosky (@RCachanosky), diretor do site economiaparatodos, que tem 144 mil seguidores.

*A Sala de Democracia Digital é uma ação da FGV DAPP, em parceria com Chequeado, na Argentina, Linterna Verde, na Colômbia e Ojo Público, no Peru. Nós monitoramos o debate público nas redes sociais pela América Latina.

A análise original está disponível no site do Chequeado aqui.