Veja nossos amigos aqui nimfomane.org, xnxxfr.org, fucktube, xnxxyouporn, xxx, filme porno
20 out

#MeDecidíPorClaudia vs. Petro: o debate pendente sobre o poder das mulheres

O Linterna Verde analisou os 36 mil tuítes que fizeram parte dessa conversa digital entre os dias 10 e 14 de outubro

Por Carlos Cortés, José Luis Peñarredonda, Tatiana Restrepo, Esteban Villa-Turek e Carolina Santana

Atualizado em 19 de dezembro, 2019 às 5:37 pm

A aliança entre Ángela María Robledo e Claudia López foi um evento político com uma encenação para as redes sociais. Primeiro houve um debate entre elas no Twitter – aparentemente espontâneo em alguns momentos e coordenado em outros; depois veio uma live do Facebook onde a adesão foi formalizada através da hashtag #MeDecidíPorClaudia, e finalmente vieram os ataques e críticas massivas das contas dos seguidores de Gustavo Petro. 

O Linterna Verde analisou os 36 mil tuítes que fizeram parte dessa conversa digital entre os dias 10 e 14 de outubro e descobriu que as mensagens contra Robledo e López foram enquadradas como argumentos sobre políticos e políticas públicas (o metrô, Peñalosa, Fajardo). No entanto, para essas narrativas existe um debate óbvio que aparentemente os seguidores de Petro tentaram evitar: com a união entre López e Robledo, uma crise no partido Colombia Humana se consolidou em torno do poder e do papel das mulheres na tomada de decisões. 

Em seu anúncio, Robledo disse que queria “uma campanha com cara de mulher”. Foi uma indireta muito direta para Gustavo Petro e Hollman Morris, dos quais se distanciou no início de agosto, depois do último ter sido acusado no início deste ano, por várias mulheres, de abuso doméstico e assédio sexual. Até agora, não existe qualquer decisão judicial contra o candidato devido a estas acusações. 

No dia 27 de agosto, Robledo encabeçou uma lista de 50 mulheres próximas a Petro, que pediram uma reunião sobre “as contradições que nosso projeto Colombia Humana está enfrentando em torno das contribuições do feminismo na sociedade”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tuíte: Caro @petrogustavo, as contradições enfrentadas pelo nosso projeto Colombia Humana em torno das contribuições do feminismo na sociedade motivam um grande grupo de mulheres a convocá-lo para uma reunião direta.

Ficamos no aguardo da data para esta reunião.

Nessa reunião, realizada em 5 de setembro, não houve acordo. Petro prosseguiu com o seu apoio a Morris e a ferida permaneceu aberta. O ex-candidato à presidência até tentou acrobacias discursivas dizendo que o metrô subterrâneo é uma política de gênero. (Disclaimer: ele fez isso em resposta a Carlos Cortés, cofundador do Linterna Verde).

Tuíte: O jornalista que é tendencioso: ele esqueceu que o atual sistema de transporte de Bogotá permite assédio e agressão a centenas de milhares de mulheres todos os dias?

Que superar este sistema com o metrô é justamente uma reivindicação feminista?

O metrô é inviolável para @petrogustavo. É por isso que qualquer aliança é deixada de lado e bloqueada. E as graves alegações de assédio e agressão a mulheres? Bem, esse assunto é menos importante. Aí está levantando o braço de @HollmanMorris. Viva a Colombia Humana.

Antes de reconhecer a existência do “elefante” que se movimentava dentro do partido, as contas próximas a Petro dedicaram-se a citar, em mais de 15 mil tuítes, o vínculo de Claudia López com Enrique Peñalosa e Sergio Fajardo e a discussão sobre o metrô elevado. E quando tocavam no tema do gênero, aliviavam o peso, acusando Robledo de promover um “falso feminismo” e “feminismo de classe”. Isso foi o que encontramos:

1. Os simpatizantes de Morris relacionam narrativamente López com o governo de Enrique Peñalosa, e não perdoam Robledo que, através dessa conexão, se aproxima do prefeito que está saindo. Quase 15% dos tuítes estudados mencionam diretamente Peñalosa.

Tuíte: Colombia Humana se Respeta (o Colombia Humana deve ser respeitado)
Perdoe-me, @petrogustavo, mas o respeito é algo conquistado, e ao apoiar um homem com acusações criminais por assédio e violência doméstica que promete coisas impossíveis, perderam todo o respeito,
Ainda bem que @angelambledo se afastou.
Respeito pela decisão da Ángela Maria. Ela sacrificou a sua própria candidatura, que teria nos fortalecido em todo o país e vencido de longe em Bogotá.
O Colombia Humana deve ser respeitado e Claudia decidiu, em vez de concordar com o movimento, retirá-lo.
O Colombia Humana está com Hollman.

Resposta: A senhora @angelamrobledo não se afastou, ela se alinhou com o peñalosismo [corrente que apoia Enrique Peñalosa], com o metrô elevado, com o POT [Plano de Ordenamento Territorial] de Peñalosa, com os 20 troncais de TM [TransMilenio, transporte semelhante ao BRT], com o TM na Séptima [uma das principais vias de Bogotá]. @ClaudiaLopez Não ache que somos tão idiotas. Não nos deixamos enganar. Firmes com o prefeito @HOLLMANMORRIS.

2. Aparecem ataques relacionados ao metrô elevado. O tema é uma linha vermelha para Petro, Morris e seus simpatizantes. Peñalosa adjudicou o projeto na última quinta-feira e a candidata verde diz que é irreversível, mas na Colombia Humana acredita-se que o metrô elevado é corrupto e menos avançado em estudos que o metrô subterrâneo que Petro desenvolveu em seu governo. Das mensagens estudadas, 13,5% mencionaram esse tópico.

Tuíte¹: Ah, eu te amo, Ángela, você me ajudou a sair do dilema, a verdade é que Claudia me decepcionou, mas precisa trabalhar no básico #MeDecidíPorClaudia. Admiro a sua independência.
Resposta: Decidiu pela corrupção do metrô elevado e Peñalosa. Parabéns.

Tuíte²: Estamos vivendo momentos decisivos para Bogotá e a nossa responsabilidade, como cidadãos livres, para com a cidade deve ser consciente. Está na hora de falar.

Aqui podem ver o meu diálogo com @ClaudiaLopez -> https://www.facebook.com/angelamrobledo/videos/2497147490352837/
Resposta: Temos outro Manguito.
Será que ofereceram um cargo?
Será que existe um contrato no meio??
Porque para dizer que era contra a corrupção e de um dia para o outro apoiar um metrô corrupto é porque algo de bom foi oferecido em troca.

3. Os usuários petristas (corrente que apoia Gustavo Petro) associam a candidata a Sergio Fajardo, de quem López foi candidata a vice-presidente e com quem Petro tem um ressentimento de longa data. Como pode ser visto na lista das palavras mais frequentes destes tuítes, Fajardo é criticado por ser morno quando se trata de tomar decisões, e López é acusada de apoiar uma suposta virada à direita orquestrada por Fajardo, que, dizem os usuários, está próximo do uribismo (corrente que apoia Álvaro Uribe Vélez).

Palavras mais frequentes nos tuítes
Não inclui palavras vazias
Gráfico Palavras individuais x Frequência

de cima para baixo:
fajardo
claudia
metro
petro
elevado
presidente
caña
bogotá
apoyo
peñalosa
colombia
apoyar
tibio
voto
uribe
ángela

Tuíte: Não esqueço quando @ClaudiaLopez apoiou o Colombia Humana na Presidência para realizar o sonho de mudança no país.

As campanhas trazem à tona o melhor e o pior de nós; a atacam chamando-a de peñalosista, quando a verdadeira peñalosista veste-se de vermelho e afirma ser independente.
Resposta: Mas, Ángela, foi muito evidente que no momento mais alto de
@ClaudiaLopez
ela rejeitou qualquer acordo desprezando a
@ColombiaHumana_
não teve critérios nem caráter e aí começou a perder votos! Deu ouvidos ao Tibio (Morno) e por querer passar por cima dele ficaremos sem metrô, sem Bogotá.

4. Os seguidores de Petro tentam fazer com que os argumentos sobre gênero fiquem em segundo plano, ou desqualificam o feminismo de Ángela Robledo. É um fato inegável que a carta pública abriu uma ferida na Colombia Humana, e alimentar a discussão é como jogar sal nessa ferida. A aliança entre López e Robledo só tornou essa crise mais evidente.

Entre 10 e 14 de outubro, 14,5% dos tuítes mencionam a palavra mulher, e 5,2% de tuítes citam diretamente as palavras “feminista” ou “feminismo”, uma proporção significativa para uma combinação de palavras tão específica.

A maioria desses tuítes se envolve em uma discussão sobre o feminismo que Robledo representa, e fazem isso diretamente para atacá-la. Dizem, por exemplo, que o seu feminismo é falso, ou que é “extremo”. É o tipo de ataque que tenta anular outras pessoas e outras posturas. Outras mensagens chegam a criticar que Robledo use o feminismo como bandeira política.

Foto 1: As mulheres acabaram com Bogotá colocando uma falsa ideologia feminista acima dos interesses da cidade. É um feminismo que ontem estava com Penãlosa e hoje, com Fajardo.

Não esqueço quando @ClaudiaLopez apoiou o Colombia Humana na Presidência para realizar o sonho de mudança no país.
As campanhas trazem à tona o melhor e o pior de nós; a atacam chamando-a de peñalosista, quando a verdadeira peñalosista veste-se de vermelho e afirma ser independente.

Foto 2: Ah, senhora, sério, devo exercer autocontrole para não a ofender. Já você, MUITOS não acreditam em uma única palavra sua. Seu coração é VERDE e seu feminismo é FANÁTICO, EXTREMISTA, CONDENATÓRIO E VIL. Quer continuar com o Colombia Humana? Será para terminar de DESTRUÍ-LA.

Fonte: Twitter

Ao analisar as palavras mais frequentes que aparecem ao lado de “feminismo” ou “feminista”, fica claro que a palavra é normalmente usada como crítica ou insulto ([classe, carreirismo, falsidade, entre outros]).

Diagrama de palavras

Fonte: Linterna Verde

Não está claro se os ataques são uma estratégia deliberada para ofuscar a candidatura de López, ou se os seguidores de Petro estão realmente em estado de negação quando confrontados com a questão do feminismo defendida pelo Colombia Humana. Talvez seja um pouco dos dois. A verdade é que, após as eleições, esse movimento terá que se olhar no espelho e enfrentar esse problema.

Claudia López pode se tornar a primeira prefeita da história de Bogotá. E se assim for, o apoio de Ángela Maria Robledo terá sido decisivo. Uma semana antes da eleição, a diferença entre López e Carlos Fernando Galán está na margem de erro, segundo quase todas as pesquisas.

Pensar que a crítica a essa aliança entre duas mulheres pode ser enquadrada simplesmente como a proximidade da candidata com políticos – homens – e sua distância do projeto do metrô subterrâneo – defendido por um homem – é tapar o sol com a peneira. Classificar o feminismo de Robledo como oportunista é igualmente errado.

Nesta conversa digital vemos os elementos que os projetos de poder liderados pelas mulheres enfrentam. E ao tentar impor sua interpretação e narrativa a este episódio, Gustavo Petro e seus seguidores demonstram que não entenderam nada.

Foto 3: Você acha que isso é um avanço? Isso significa que se você apoia @ClaudiaLopez você definitivamente não é parte do CH (Colombia Humana), pode ir defender o metrô elevado com elas

#Compartir convencendo @angelamrobiedo que o elevado e o subterrâneo estão no mesmo nível, dando mérito a Peñalosa, minimizando que há 2 propostas de licitação e levará até o fim, mas @HOLLMANMORRIS @petrogustavo @GNavasTalero @GustavoBolivar não gostam dos estudos.

Foto 4: Apoia Claudia que apoia Fajardo (e este apoia Uribe e Peñalosa), mas também quer continuar trabalhando com o CH. Sem falar no metrô voador. 😡 Você está muito confusa, dona incoerência.

Fonte: Twitter

*A Sala de Democracia Digital é uma ação da FGV DAPP, em parceria com Chequeado, na Argentina, Linterna Verde, na Colômbia e Ojo Público, no Peru. Nós monitoramos o debate público nas redes sociais pela América Latina

A análise original está disponível no site do Linterna Verde aqui.