13 nov

Com volta de Moro ao rol de presidenciáveis, terceira via ganha fôlego novo, porém tímido

Impacto digital dos presidenciáveis

Atualizado em 17 de novembro, 2021 às 1:15 pm

  • No Twitter, em que Bolsonaro segue como o presidenciável com maior engajamento, Moro consegue angariar a própria ‒ e ainda pouco expressiva ‒ base de apoio;
  • Bolsonaro apresentou queda no volume de interações em todas as redes entre agosto e outubro;
    Impulsionadas por evento de filiação, páginas de Sergio Moro superam o volume de interações das de
  • Lula no Twitter e no Instagram, nos primeiros dez dias de novembro.

A pouco menos de um ano para a eleição presidencial de 2022, os perfis e as redes de apoiadores de possíveis presidenciáveis seguem disputando espaço no debate público online. Este monitoramento se divide em duas partes principais: na primeira, são analisadas as menções ao presidenciáveis no Twitter, buscando identificar suas redes de apoio nessa plataforma; já na segunda, os objetos de análise são os perfis dos presidenciáveis nas quatro plataformas mais populares do país, destacando a evolução das interações em suas publicações entre agosto e outubro e também nos primeiros dez dias do mês de novembro.

1. O debate sobre os presidenciáveis

Twitter

Os principais presidenciáveis de 2022 foram assunto de 17 milhões de postagens no Twitter, entre 28 de setembro e 10 de novembro de 2021. Um momento de maior mobilização ‒ quando o debate alcançou 610,3 mil tuítes ‒ aconteceu no dia 02 de outubro e foi impulsionado por protestos, convocados pelo PT, contra o governo federal. Muitas postagens destacaram o suposto fracasso dos atos. Outro pico de menções foi identificado no dia 04 de novembro, somando 586 mil postagens. Na ocasião, repercutiram a decisão favorável de deputados do PDT na votação da PEC dos Precatórios, na Câmara, e a decepção do seu vice-presidente, Ciro Gomes.

Dentre os pré-candidatos, o nome de Jair Bolsonaro é o que obteve maior atenção: foram mais de 11,9 milhões de menções no período. A maior parte das postagens lançou críticas ao presidente em função, sobretudo, da atual crise econômica no país e da sua posição contrária à distribuição gratuita de absorventes menstruais em escolas públicas. Ainda assim, têm forte repercussão postagens do perfil oficial de Bolsonaro sobre ações do governo, sobretudo no setor de infraestrutura. As top 4 hashtags do debate refletem esse cenário: #forabolsonaro e #2outforabolsonaro, usadas em 305,7 mil e 181 mil postagens, respectivamente; e #bolsonaroreeleito e #bolsonaroate2026, em 82,1 mil e 69,7 mil tuítes, cada uma.

Mapa de interações das menções a presidenciáveis no Twitter
Período de análise: de 28 de setembro a 10 de novembro de 2021

Fonte: Twitter

Vermelho ‒ 30,9% dos perfis | 34,9% das interações
Mobilizado por perfis de políticos com alinhamento ideológico à esquerda, jornalistas, canais de mídia ‒ tradicionais e alternativos – e liderado pelo presidenciável Lula (PT), este grupo evidencia o constante aumento no valor da gasolina desde a presença de Jair Bolsonaro na presidência do Brasil; esclarece a ausência do presidenciável Lula nos atos contra o atual presidente brasileiro e, ainda, salienta inspeções realizadas pelo Tribunal Eleitoral Superior (TSE) no sistema eleitoral brasileiro em resposta às denúncias, conduzidas por Jair Bolsonaro, de fraude nas urnas.

Azul ‒ 29,5% dos perfis | 41,1% das interações
Orbitando o perfil de @jairrbolsonaro e políticos da sua base de apoio, o grupo ‒ que conta, ainda, com jornalistas e canais de mídia conservadores ‒ se empenha no engajamento de tuítes feitos pelo presidente na plataforma, nos quais divulga ações do governo federal nos setores de infraestrutura, saúde e economia, como repasses de verbas a unidades de saúde; entregas de obras hídricas; e ferroviárias; e incentivos à criação de empregos. Muitos comentários compartilham imagens e informações da participação do ex-capitão em inaugurações em diversas cidades brasileiras, eventos internacionais e encontros informais com apoiadores.

Verde ‒ 5,7% dos perfis | 5,3% das interações
Liderado por @SF_Moro e contando com @jdoriajr, políticos de centro-direita, e movimentos, jornalistas e canais de mídia conservadores, o grupo se concentra em compartilhar opiniões do ex-magistrado sobre falhas na gestão do atual governo ‒ como o tentativa de descumprimento do teto de gastos e denúncias de compra de políticos ‒ e mudanças necessárias nas engrenagens políticas do Brasil. Já o nome do governador de SP é alvo de acusações, por parte de aliados de Jair Bolsonaro, de desvios de verba pública com propósitos eleitoreiros; de má administração da segurança pública no estado; e de espalhar mentiras sobre a real responsabilidade do governo federal no controle do preço de combustíveis no país.

Laranja ‒ 4,6% dos perfis | 5,9% das interações
Encabeçado por @cirgomes, o grupo é composto, também, por políticos de centro- esquerda, canais da imprensa tradicional e apoiadores do presidenciável. Apesar de repercutir críticas do pré-candidato tanto ao atual presidente brasileiro quanto a gestões anteriores ‒ principalmente, Dilma e Lula ‒, o grupo se mobiliza em torno de postagens que atacam a postura inflexível e pouco amigável do pedetista. A decepção de Ciro quanto ao voto favorável de muitos colegas de partido à PEC dos Precatórios também chamou a atenção do grupo. Muitos perfis, enfim, se prestaram em condenar ações do governo federal, tais como o veto à distribuição gratuita de absorventes menstruais em escolas públicas; o chamado “orçamento secreto”; e a má gestão da pandemia de Covid-19, que resultou em 600 mil óbitos.

Rosa ‒ 2,4% dos perfis | 1,2% das interações
Conduzido por perfis de canais de comunicação e usuários comuns, este grupo reporta ações dos presidenciáveis Lula (PT), Jair Bolsonaro (PL) e do PDT “de Ciro Gomes”. Enquanto, de um lado, as postagens enaltecem e elogiam o possível crescimento do país sob a administração do presidenciável Lula – exaltando a diversidade de empregos, o valor barato da gasolina e a possibilidade de fazer churrascos; do outro lado, postagens além de criticar uma parte da população que defende e apoia o governo federal, ainda, relaciona a atuação do PDT mais próxima e aliada ao governo de Jair Bolsonaro – chamando de “BolsoPDTismo” – do que disposta a fazer oposição. Conforme postagens, o PDT faz oposição ao PT e não ao governo federal.

2. Impacto digital dos perfis dos presidenciáveis

Twitter

Entre 1º de agosto e 31 de outubro, os presidenciáveis publicaram 3,2 mil posts no Twitter, que geraram mais de 21,3 milhões de interações.

Evolução das interações em posts de presidenciáveis no Twitter entre agosto e outubro
Período de análise: de 1º de agosto a 31 de outubro de 2020

Fonte: Twitter

Entre 1º e 10 de novembro, os presidenciáveis publicaram 318 posts no Twitter, que geraram mais de 1,9 milhão de interações.

Posts vs Interações em perfis de presidenciáveis no Twitter em Novembro
Período de análise: de 1º a 10 de novembro de 2020

Fonte: Twitter

  • Jair Bolsonaro vem apresentando queda constante de interações em suas publicações desde agosto. Lula, após pico motivado pela caravana ao nordeste, apresentou queda em setembro e se estabilizou em outubro.
  • Enquanto nomes da centro-direita se mantêm com baixo alcance, Ciro Gomes conseguiu se destacar desse conjunto e se firmou como terceiro presidenciável com maior alcance no Twitter. O pré-candidato do PDT mais que dobrou suas interações entre agosto e setembro e conseguiu se manter acima das 100 mil interações em outubro.
  • A entrada de Sergio Moro entre os nomes presidenciáveis fez com que o ex-juiz e ex-ministro obtivesse o segundo maior volume de interações nos primeiros dez dias do mês de novembro, ultrapassando o ex-presidente Lula.
  • O alto engajamento de Moro se destaca pelo número de publicações inferior aos seus adversários, mas deve ser lido à luz do contexto de lançamento de sua possível candidatura, necessitando ainda de maior observação ao longo do tempo.

Facebook

Entre 1º de agosto e 31 de outubro, os presidenciáveis publicaram 2.325 posts no Facebook, gerando mais de 87 milhões de interações.

Evolução das interações em posts de presidenciáveis no Facebook entre agosto e outubro
Período de análise: de 1º de agosto a 31 de outubro de 2020

Fonte: Facebook

Entre 1º e 10 de novembro, os presidenciáveis publicaram 244 posts no Facebook, gerando mais de 5,4 milhões de interações.

Posts vs Interações em perfis de presidenciáveis no Facebook em Novembro
Período de análise: de 1º a 10 de novembro de 2020

Fonte: Facebook

  • Ainda que com engajamento em queda ao longo dos meses, os presidenciáveis Jair Bolsonaro e Lula são os únicos que exibem engajamento relevante no Facebook, concentrando cerca de 80% e 15% das interações, respectivamente.
  • Os atos de 7 de setembro respondem pelo pico de interações do presidente Jair Bolsonaro; postagens com divulgações de obras e investimentos nas regiões nordeste e centro-oeste também obtiveram destaque.
  • Ciro Gomes e Lula investem em vídeos que simulam material de campanha, e obtêm alcance notório, até por se tratar de conteúdo que circula entre plataformas; enquanto que Joao Doria e Eduardo Leite publicam ações do governo, porém sem mobilização relevante. Nota-se, ainda, a ausência do ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro na plataforma.
  • Ao contrário das demais redes analisadas, os nomes cotados para a terceira via, tanto à esquerda, quanto à direita, não demonstram atuação e engajamento relevantes no Facebook. E, novamente, Jair Bolsonaro e Lula juntos concentram quase a totalidade das interações.
  • Nos primeiros dez dias de novembro, Jair Bolsonaro, Ciro Gomes, Marina Silva, e João Dória apresentam volume equivalente de postagens; os presidenciáveis Ciro Gomes e João Dória exibem volume um pouco maior em interações.
  • A conta o do ex-presidente Lula despontou no volume de publicações que, na esteira de seu aniversário em outubro, fez uma série de postagens organizadas pela hashtag #76FatosSobreLula, que conta a história do ex-presidente associada a programas implementados em seu governo.

Instagram

Entre 1º de agosto e 31 de outubro, os presidenciáveis publicaram 1,5 mil posts no Instagram, que geraram mais de 105,9 milhões de interações.

Evolução das interações em posts de presidenciáveis no Instagram entre agosto e outubro
Período de análise: de 1º de agosto a 31 de outubro de 2020

Fonte: Instagram

Entre 1º e 10 de novembro, os presidenciáveis publicaram 157 posts no Instagram, que geraram mais de 9,7 milhões de interações.

Posts vs Interações em perfis de presidenciáveis no Instagram em Novembro
Período de análise: de 1º a 10 de novembro de 2020

Fonte: Instagram

  • O presidente Jair Bolsonaro segue como presidenciável com maior número de interações no Instagram. Nota-se, no entanto, uma queda no mês de outubro após o pico observado no mês de setembro, quando o presidente e seus apoiadores realizaram atos de caráter anti-democrático.
  • Após pico de interações durante caravana pelo Nordeste, em agosto, o ex-presidente Lula apresentou queda no volume de interações nos dois meses seguintes.
  • Nomes ligados à terceira via seguem apresentando baixo engajamento na plataforma.
  • Nos dez primeiros dias de novembro, no entanto, observa-se que o ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro obteve volume de interações maior do que o ex-presidente Lula, alcançando a segunda colocação no ranking dos presidenciáveis.
  • Condolências e lamentos pela morte da cantora Marília Mendonça estiveram entre as principais publicações de todos os presidenciáveis.

YouTube

Entre 1º de agosto e 31 de outubro, os presidenciáveis publicaram 481 vídeos no YouTube que geraram mais de 15,3 milhões de visualizações.

Evolução das interações em vídeos de presidenciáveis no YouTube entre agosto e outubro
Período de análise: de 1º de agosto a 31 de outubro de 2020

Fonte: YouTube

Entre 1º e 10 de novembro, os presidenciáveis publicaram 31 vídeos no YouTube que geraram mais de 800 mil visualizações.

Posts vs Visualizações em canais de presidenciáveis no YouTube em Novembro
Período de análise: de 1º a 10 de novembro de 2020

Fonte: YouTube

  • Entre agosto e outubro de 2021, observou-se uma queda de mais de 50% nas visualizações do canal do presidente Jair Bolsonaro. Em geral, os vídeos mais assistidos do canal são as lives feitas pelo presidente.
  • Em agosto, o canal do ex-presidente Lula apresentou melhor desempenho do que o canal de Ciro Gomes. O pré-candidato pelo PDT, no entanto, recuperou o segundo lugar nos meses seguintes.
  • O canal de Lula se divide entre entrevistas à imprensa, pronunciamentos longos e falas curtas sobre temas específicos. A maior parte dos vídeos do canal de Ciro Gomes são curtos, com diversas inserções de até 15 segundos e alguns vídeos com até três minutos.
  • Nomes da centro-direita, como Dória e Eduardo Leite, mantêm alcance muito baixo na plataforma.
  • Nos primeiros dez dias de novembro, ainda sem publicações do canal de Lula, Ciro Gomes surge isolado como segundo colocado em número de visualizações. Sergio Moro inaugurou o seu canal no dia 10 de novembro, com o vídeo de seu discurso no evento de sua filiação ao Podemos.
Veja nossos amigos aqui porno, xnxxfr.org, xnxxyouporn, xxx, filme porno