15 set

Atuação de advogados e ministros transformam julgamento do 8 de janeiro em espetáculo para redes sociais

Menções a Alexandre de Moraes cresceram cerca de 62% entre 13 e 14 de setembro

Atualizado em 19 de setembro, 2023 às 11:57 am

Delação de Mauro Cid gera debate acirrado no Facebook e no Twitter

Fonte: X e Facebook | Elaboração: FGV ECMI

 

  • Entre perfis progressistas, a delação de Mauro Cid instaurou um certo clima de comemoração, com posts que indicam que a prisão de Bolsonaro está próxima. A base ainda ironiza choro de Michelle Bolsonaro e desqualifica tese da direita de perseguição;
  • Aliados e eleitores de Bolsonaro, no entanto, não se apartam do debate, defendendo que Cid estaria sendo intimidado a partir de uma delação ilegal.

 

Espetacularização da defesa e piadas sobre discussão entre ministros marcam o debate sobre julgamento do 8 de janeiro no STF

Fonte: X | Elaboração: FGV ECMI

 

  • Julgamento dos primeiros réus do 8 de janeiro dominou as redes, com predominância de elogios ao advogado Sebastião Coelho por confrontar o STF, além de comentários sobre a discussão entre Moraes e Mendonça;
  • Mesmo com os resultados negativos para os réus, as falas dos advogados de defesa foram espetacularizadas em grupos de WhatsApp, que classificaram o episódio como “avassalador”, “histórico” e “um ato de coragem e heroísmo”;
  • Já a base progressista se volta à discussão entre Alexandre de Moraes e André Mendonça, ironizando a situação e elogiando Moraes por sua postura combativa. Figura central no debate, houve um aumento de cerca de 62% nas menções ao ministro entre os dias 13 e 14 de setembro.

 

“Afonso Pilatos” e Pequeno Príncipe de Maquiavel: gafes marcam falas de advogados no plenário do STF

  • Em um julgamento marcado pela tensão, confusões feitas pelo advogado de um dos réus geraram risos nas redes. Entre as gafes, a atribuição da frase “os fins justificam os meios” ao livro Pequeno Príncipe gerou mais de 35 mil posts em apenas dois dias.
  • A atribuição da frase “eu lavo minhas mãos” a “Afonso Pilatos” também gerou chacota nas redes, com quase 8 mil menções.