19 nov

Apesar das lideranças de Covas e Paes, desempenho da esquerda mobiliza debate sobre 2º turno eleitoral no Twitter

Atualizado em 23 de novembro, 2020 às 1:24 pm

  • Candidatos do PSDB e do DEM confirmam expectativa eleitoral, mas não engajam discussão na rede, que se concentra na esquerda nas capitais e Crivella no Rio;
  • Em São Paulo, pico de engajamento se deu em reação aos desempenhos da esquerda e da direita, Boulos (PSOL) e Russomanno (Republicanos), no 1º turno;
  • Votação do atual prefeito carioca, que mobilizou campo da direita, surpreende, gerando debate no campo da esquerda sobre apoio a Eduardo Paes;
  • Em Recife e Porto Alegre, o debate digital também se concentrou sobretudo na presença das candidatas do PCdoB e do PT no segundo turno contra MDB e PSB.

Análise da FGV DAPP sobre o debate eleitoral no Twitter após a definição dos candidatos que disputarão o 2º turno em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Porto Alegre indica que, apesar da confirmação das vitórias em 1º turno de Bruno Covas (PSDB) e Eduardo Paes (DEM), foi o desempenho do campo da esquerda que engajou o debate mais intenso desde o domingo (15), bem como o desempenho do atual prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Rep).

Evolução do debate sobre eleições municipais nas principais capitais
15 a 18 de novembro de 2020

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Em São Paulo, o crescimento do candidato opositor Guilherme Boulos (PSOL) atraiu a maior parte das atenções dos dois principais campos políticos, incluindo a direita representada por Celso Russomanno (Republicanos) . No Rio de Janeiro, a liderança de Paes e a ida do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) para o 2º turno, bem como a consequente ausência de um candidato do campo da esquerda, foram os assuntos predominantes. Em Recife e Porto Alegre, o debate também girou sobretudo em torno das possibilidades das candidaturas de Manuela D’ávila (PCdoB) e Marília Arraes (PT), que enfrentarão respectivamente Sebastião Melo (MDB) e João Campos (PSB).

Entre os temas mais destacados estiveram as acusações de fraude nas urnas, potencializadas pela demora na apuração por parte do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), bem como pautas negativas contra candidatos que alcançaram o segundo turno (sobretudo Boulos e Crivella) e também o aumento da representatividade nas Câmaras Municipais, assunto que mereceu bastante atenção de usuários no Twitter. 

Em São Paulo, primeiro debate e declarações de apoio são os principais temas

O levantamento da FGV DAPP identificou quase 735,4 mil menções no Twitter, entre as 17h de domingo (15) e as 12h de quarta (18), a respeito das eleições municipais em São Paulo. No momento de maior engajamento, com 39,2 mil postagens às 23h do dia 15 ‒ minutos após a divulgação do resultado da apuração ‒, o debate ficou marcado por manifestações de otimismo pela aprovação de Boulos (PSOL) para o 2º turno e por comentários sobre a derrota de Russomanno. A confirmação de Covas em primeiro lugar confirmou expectativas, não gerando grande engajamento sobre o candidato.

Em um segundo pico de mobilização ‒ que contabilizou 27 mil menções às 21h de segunda (16) ‒, estiveram comentários sobre o debate entre Covas e Boulos realizado naquela noite pelo canal de notícias CNN. Teve forte repercussão, ainda, a manifestação de apoio de atores públicos e de influenciadores digitais como @lulaoficial, @felipeneto e @bslvra ao candidato psolista, mobilizando tanto apoiadores como críticos.

Grupo Azul
Desse debate, 26,4% dos perfis, com 38,4% das interações, orbitaram próximo ao nome de Russomanno, candidato apoiado pelo campo da direita e o presidente Jair Bolsonaro. Composto por apoiadores do governo federal, o grupo questionou o resultado das urnas ‒ que significou a derrota do jornalista ‒ , alegando a possibilidade de fraude no processo eleitoral. A suspeita foi agravada com a notícia de uma falha no sistema de apuração de votos, que, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acabou atrasando a contagem. 

Grupo Verde
Composto por perfis também alinhados à direita (mas sem alinhamento político explítico) com 3,8% dos perfis e 2,7% das interações, o campo compartilha afirmações de que grupos ligados a Boulos teriam, de fato, invadido propriedades e depredado patrimônio público, reiterando a acusação de que o candidato seria radical. Perfis também criticam gestões anteriores comandadas por políticos de esquerda. Covas não aparece em destaque neste campo, dado o pouco engajamento geral gerado pelo candidato.

Grupo Rosa
Composto pela base partidária de esquerda, é responsável por 46% dos perfis e 46,7% das interações ‒ contando com @lulaoficial, @guilhermeboulos, @samiabomfim, @dilmabr e @flaviodino ‒, apontou associação de Covas com o governador paulista, João Doria (PSDB), e com Russomanno, além de intensificar campanha em favor de Boulos.

Grupo Amarelo
Grupo de influenciadores digitais e perfis alinhados à esquerda com 18,6% dos perfis e| 9,7% das interações, mas sem identificação partidária direta. Ironiza acusações de que Boulos seria radical, atribuídas à Covas durante um debate, e faz memes com as alegações populares de que o candidato teria o hábito de invadir propriedades.

No Rio de Janeiro, mobilização esfria após definição do primeiro turno
No mesmo período, a FGV DAPP contabilizou mais de 149,9 mil postagens referindo-se à corrida eleitoral no município do Rio de Janeiro. O debate esteve realmente quente somente durante a noite do dia da votação (15), alcançando um volume de 22,8 mil menções às 23h. Nesse período, também a liderança da Paes não gerou surpresa (e portanto causou pouco engajamento), levando grande parte das postagens a abordar a ida do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) para disputar o 2º turno das eleições. O resultado levou parte do campo da esquerda a discutir a possibilidade de apoio a Paes.

Outro tema que atraiu a atenção no debate, nesse período, foi o resultado das urnas para a Câmara Municipal. Enquanto que a eleição de Tarcísio Motta (PSOL) como vereador mais votado do Rio rendeu maiores comentários, a colocação de Carlos Bolsonaro (Republicanos) e Gabriel Monteiro (PSD) nas 2ª e 3ª posições dividiu opiniões.

 

Grupo Verde
Contando com 10,4% dos perfis e sendo responsável por 12,3% das interações nesse debate, o grupo que acompanha Crivella na corrida eleitoral reverbera a suspeita de fraude eleitoral também nas eleições do Rio. Porém, houve quem interpretasse a ida do prefeito ‒ oficialmente apoiado pelo presidente ‒ para o 2º turno como resposta ao argumento da oposição de que o bolsonarismo estaria perdendo força nas principais cidades. Além disso, entrou no radar do debate a prisão, na terça (17), do blogueiro @oswaldojor, defensor de Bolsonaro e impulsionador da tese de #fraudenaseleições.

Grupo Rosa
Responsável por 36,8% dos perfis e 32,1% das interações, é formado por celebridades e influenciadores digitais ‒ como @anitta, @naosalvo e @goldorayo ‒ que compartilham memes sobre as chances da dobradinha “Paes e Boulos” e ironizam a insistência no voto em Crivella, que atrai boa parte das críticas desse campo na semana.

Grupo Vermelho
Com 15,3% dos perfis e 11,3% das interações, grupo lamentou a ausência de um candidato do campo no 2º turno e discute a possibilidade de incentivar eleitores da esquerda carioca a migrarem seus votos para Paes no 2º turno com o objetivo de derrotar Crivella. 

Grupo Amarelo
Com 30,7% dos perfis e 39,4% das interações, é composto por políticos da oposição e influenciadores digitais ‒ como @felipeneto, @dasilvabenedita, @gduvivier, @renatasouzario e @alessandromolon ‒, o grupo sobretudo lamenta a ida de Crivella para o 2º turno e, em geral, reforça mensagem da necessidade de derrotar Crivella, discurso que vem favorecendo Paes, apesar do relativamente baixo engajamento com seu nome.

Em Recife e Porto Alegre, Marília e Manuela protagonizam o debate

Ainda segundo a FGV DAPP, entre a noite de domingo e a manhã de quarta, as eleições municipais em Porto Alegre foram assunto de 69,2 mil postagens no Twitter. A maioria dos comentários foi pautada pela notícia de que Manuela D’Ávila (PCdoB) conquistava uma vaga para o 2º turno na capital gaúcha, apesar do desempenho aquém do previsto pelas pesquisas. A exemplo do ocorrido em São Paulo e Rio, o seu adversário, o ex-vice-prefeito Sebastião Melo (MDB), não mobilizou grande engajamento digital.

Sendo, em grande parte, mobilizado pelo próprio perfil @manueladavila, o debate está marcado por postagens de diversas figuras políticas nacionais oficializando seu apoio à candidata ‒ como a ex-senadora e ex-ministra @marinasilva (Rede Sustentabilidade); o presidente do PDT, @carloslupipdt; ex-candidata à prefeitura de Porto Alegre @fernandapsol (PSOL); e a ex-candidata à Prefeitura carioca @dasilvabenedita (PT).

Por fim, a análise identificou 28,5 mil postagens que faziam alguma referência às eleições municipais em Recife. Seguindo o debate de São Paulo e de Porto Alegre, o debate na capital pernambucana destaca a ida da candidata Marília Arraes (PT) para o 2º turno. O adversário, João Campos (PSB), apesar da liderança no 1º turno, não mobilizou grande engajamento. E mesmo críticos de Marília, em parte, também se mostram bastante descontentes com o fato de Campos ser o adversário da deputada no 2º turno.

Veja nossos amigos aqui porno, xnxxfr.org, xnxxyouporn, xxx, filme porno