06 jul

Acusados de vandalismo nas redes, protestos de #3j viraram assunto de 1,16 milhão de tuítes

Atualizado em 7 de julho, 2021 às 9:59 am

  • Responsável por maior parte do engajamento, grupos de oposição ao governo mantém o debate aquecido durante todo o fim de semana, repetindo as reivindicações por afastamento do presidente Jair Bolsonaro;
  • Concentrando sua participação no debate nos momentos finais dos protestos, base de apoio ao governo critica os supostos atos de vandalismo e violência cometidos por manifestantes;
  • Em debate fortemente polarizado, as hashtags #3jforabolsonaro, pelo impedimento de Bolsonaro, e #esquerdacriminosa, em acusações de vandalismo, geraram forte engajamento na plataforma.

Entre 03 e 04 de julho, as manifestações de sábado (03) contra a gestão do governo federal na pandemia de Covid-19, em várias cidades do país, foram assunto de 1,16 milhão de postagens no Twitter, segundo levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV DAPP). Momento de maior agitação do debate aconteceu na noite do dia 03 ‒ com 55,9 mil tuítes às 21h ‒, quando passaram a circular denúncias e imagens de confrontos entre manifestantes e agentes de segurança e de prédios públicos e comerciais depredados durante os atos, sobretudo, na capital paulista.

Evolução do debate sobre as manifestações de #3j no Twitter
Período: 03 e 04 de julho de 2021

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Críticas aos supostos atos de vandalismo nas manifestações dividiram o espaço do debate com o compartilhamento de reivindicações dos protestos. Parte das postagens exige o impedimento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), alegando serem as mortes por Covid-19 no Brasil resultado de negligências e esquemas de corrupção do governo federal. Mais usadas no debate, as hashtags #3jforabolsonaro e #esquerdacriminosa alcançaram 338,2 mil e 151,2 mil postagens, respectivamente.

Mapa de interações do debate sobre as manifestações de #3j no Twitter
Período: 03 e 04 de julho de 2021

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Vermelho ‒ 43,3% dos perfis | 49,4% das interações
Liderado por políticos de esquerda e canais de mídia alternativa críticos ao governo federal, o grupo de maior atividade no debate compartilha imagens das manifestações em diferentes cidades brasileiras e algumas capitais internacionais. Repetindo a principal reivindicação do atos ‒ isto é, o afastamento de Jair Bolsonaro (sem partido) ‒, postagens elencam os erros do governo federal durante a pandemia, tais como acusações de prevaricação e de pedidos de propina em compras de vacina contra a Covid-19, bem como o atraso na imunização da população, para colocar as mais de 500 mil mortes pela doença na conta do presidente.

Azul ‒ 34,8% dos perfis | 41,9% das interações
Concentrando participação no debate no final do dia das manifestações, grupo composto por políticos de direita, militares e influenciadores digitais e blogueiros conservadores critica supostos atos de vandalismo e violência cometidos por manifestantes durante os protestos, sobretudo, na cidade de São Paulo. Perfis compartilham denúncias e imagens ‒ algumas divulgadas pelo perfil da Polícia Militar paulista no Twitter ‒, de prédios depredados, focos de incêndio em tapumes e avenidas e policiais feridos em confrontos com manifestantes.

Verde ‒ 7,9% dos perfis | 3,4% das interações
Mobilizado por perfis de usuários comuns, o grupo ingressa no debate no dia seguinte às manifestações para exaltar o engajamento aos atos, contestar as acusações de violência e vandalismo contra os protestos e denunciar prisões arbitrárias de manifestantes. Algumas postagens, ainda, reiteram os pedidos de afastamento do presidente Jair Bolsonaro, em virtude da má gestão da pandemia ‒ que resultou em mais de 500 mil mortes ‒ e das altas taxas de desemprego no país.

Rosa ‒ 4,4% dos perfis | 2,4% das interações
Movimentado por artistas, profissionais da área de Comunicação e políticos que fazem oposição ao governo federal, esse grupo – embora se apresente como oposição ao governo de Jair Bolsonaro – exibe diferentes posicionamentos sobre as manifestações do sábado, 03 de julho. Enquanto algumas postagens criticam a postura do governo federal no enfrentamento da Pandemia da Covid e reivindicam por “vacinas no braço” e “comida no prato”, outras postagens evidenciam a postura violeta de alguns manifestantes e apontam esse ato como uma possível propaganda positiva para o atual governo. Há, ainda, postagens solicitando o impeachment do atual presidente, baseado no argumento de que o presidente subverteu o lema da bandeira brasileira, trazendo desordem e atrasando o progresso do país.

Veja nossos amigos aqui porno, xnxxfr.org, xnxxyouporn, xxx, filme porno