24 abr

Saída de Moro do governo gera repúdio de 70% e divide base de direita nas redes

Atualizado em 30 de abril, 2020 às 9:53 am

– Apoio nas redes ao ministro da Justiça e Segurança Pública superou o engajamento gerado em suporte ao então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta;
– A base de direita (em azul) se apresenta até o momento dividida no tom do debate, embora ainda no mesmo campo, em crescente isolamento do restante de rede;
– Hashtags de apoio a Moro predominam em meio a mais de 1 milhão de tuítes em 2h, com destaque para #bolsonarotraidor e #forabolsonaro.

A saída do ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, anunciada na manhã desta sexta-feira (24) voltou a gerar amplo repúdio, alcançando quase 70% dos perfis engajados no debate nas redes e dividindo a própria base de apoio do presidente Jair Bolsonaro. De acordo com levantamento da FGV DAPP com dados do Twitter entre 11h e 13h30 de hoje, período que abarca o pronunciamento de Moro e a repercussão imediatamente posterior, o campo de oposição ao governo (em amarelo) superou o espaço obtido na defesa do então ministro Luiz Henrique Mandetta, que chegou a mobilizar 60% dos perfis em seu apoio no início deste mês. A base de direita (em azul), por sua vez, se apresenta até o momento dividida no tom do debate, embora ainda no mesmo campo, em crescente isolamento do restante dos usuários envolvidos no debate.

A análise da FGV DAPP revela uma divisão entre os perfis que compõem o grupo azul, da base alinhada à direita. Influenciadores como @rconstantino, @anapaulavolei, @leandroruschel e @carlazambelli38 lamentaram a demissão de Moro, destacando que sua é demissão uma perda no combate à corrupção e, possivelmente, um erro do governo. Por outro lado, perfis como @allantercalivre, @danielpmerj, @realpfigueiredo publicaram os primeiros ataques ao ex-juiz e agora ex-ministro, criticando o pronunciamento e o acusando de agir politicamente e reforçando a confiança em Jair Bolsonaro.

Influenciadores políticos de esquerda ressaltaram a inconsistência da narrativa de vítima do juíz, apontaram ilegalidades no discurso do pronunciamento, e enalteceram o reconhecimento da autonomia da PF em governos do PT em seu discurso.

Hashtags de apoio a Moro predominam em meio a mais de 1 milhão de tuítes em 2h

Foram identificadas mais de 1,24 milhão de menções no Twitter ao agora ex-ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) entre 0h e 13h desta sexta (24), segundo o levantamento da FGV DAPP. O debate começou a inflar drasticamente a partir das 11h, com o início da coletiva em que o agora ex-ministro anunciaria a sua demissão, alcançado um pico de menções em menos de uma hora, com 68,4 mil postagens.

As principais hashtags revelam divergências com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ‒ como a que envolveu a exoneração do diretor da PF, Maurício Valeixo ‒ , apontadas pelo magistrado como motivo da sua saída. Nos dois primeiros lugares do debate, aparecem as hashtags em defesa de Moro #bolsonarotraidor e #forabolsonaro, em aproximadamente 44,8 mil e 27,4 mil postagens, respectivamente; além de #moro, em 7,5 mil postagens, ocupando o quarto lugar. Já, apoiando as ações do presidente, as hashtags mais usadas foram #tchauquerido, em 23,7 mil postagens, no terceiro lugar do debate; e, nas quinta e décima posições, #fechadocombolsonaro e #fechadoscombolsonaro, foram usadas em 7,5 mil e 5 mil postagens, respectivamente.

Sobre a metodologia deste trabalho

Sobre a equipe